7 de fev de 2010

Decepção


Éh, ...
Mais uma vez me sinto decepcionada com o " casamento"!
Como havia dito outras vezes atrás, não acredito em casamento porque nunca conheci um casamento que deu certo... E continua assim pra mim.

Agora é a vez do casamento da minha irmã começar a criar rachaduras, pra talvez mais tarde desmoronar.

Ela se casou contra a vontade de meus pais há 3 anos. Meus pais não gostava do genro, achavam que ele escondia sua real personalidade. Eles tinham medo que ela viesse a sofrer mais tarde, mas sabe como o amor é cego! Ela nunca deu ouvidos ao que eles diziam e se casou assim mesmo.

Ela tinha "medo de ficar sozinha, de nunca ter alguém pra envelhecer junto"(palavras dela), assim ela arriscou e parece que o que mãe diz sempre acontece... e aconteceu.

Com o tempo ele realmente começou a demonstrar como era, como queria as coisas, seu ciumes, inveja, arrogância, ao ponto de hoje minha irmã dizer para mim que " Se fosse hoje, ela não teria casado com ele."

Eles não brigam, não tem agressão (Graças a Deus), mas tem discussões, falta de diálogo, falta de compromisso, falta de interação, falta, falta...

Ele voltou a fumar, depois de muito tempo que tinha parado, não gosta que ela estuda, não gosta que ela ganhe mais do que ele, não gosta de ajudar ela em nada.
Ela não gosta que ele saia sem dar satisfação, não gosta que ele vive entrando em dívidas e usa o dinheiro dela pra pagar, não gosta de ter que estudar, trabalhar e cuidar da casa sozinha enquanto ele fica o dia na internet (quando não está no trabalho).

Quando namoravam ele dizia que sabia se virar sozinho, lavava, passava, cozinhava e e ajudava na casa. Hoje ele não frita um ovo.

O pior é quando ela quer conversar sobre o que está acontecendo e ele não fala nada, se torna um monólogo e não uma conversa.

Não sei como isso vai ficar, mas com certeza será mais um casamento só de aparência feliz, como muitos por aí...
Aí fica minha pergunta: Existe casamento feliz, a longo ou curto prazo?


2 comentários:

  1. Se existe casamentos felizes? Podem existir relações entre duas pessoas "sempre felizes"?!!!
    O problema está na relação entre as pessoas,
    que obviamente mais se complica quando têm que
    viver juntas e o dinheiro conta.
    É muito problemático. Exige um grande equilíbrio
    e quando os alicerces são fracos não aguenta
    mesmo.
    Um beijo/Irene

    ResponderExcluir
  2. Um casamento não é algo fácil, conviver com uma pessoa sempre tem suas complicações, temos de abrir mão de uma porção de coisas e, às vezes, temos até de policiar um pouco outro, já que outras coisas da vida tendem a tirar o nosso foco, fazendo com que nem sempre a atenção de ambos esteja onde ela é mais necessária (e manter essa atenção na unidade do casal - sem destruir a individualidade de cada um - é, no meu entender, uma das maiores dificuldades enfrentadas).

    Os desafios existem até mesmo quando o casamento se iniciou pelas razões "corretas" (amor, carinho, companheirismo etc.), mas tais desafios podem se tornar intransponíveis quando o casamento teve origem a partir de medos, por causa da idade ou, ainda, para "consertar" decepções. Diria que são razões "equivocadas" para se começar uma relação pessoal e, em especial, para se casar.

    Tem muita gente que "faz de conta" enquanto namora, para conquistar, como se casar fosse um troféu que você conquista e coloca na estante; mas não é por aí. Casamento é convivência diária e ninguém consegue deixar de ser quem é por muito tempo. Tentar fazer isso... acaba gerando uma bomba relógio.

    E é preciso lembrar da responsabilidade envolvida: casamento inclui famílias, amigos, compreender as necessidades da(o) companheira(o), saber expressar as próprias necessidades, não deixar desentendimentos para amanhã, preocupar-se com a(o) companheira(o) e o decorrente cuidado... e casamento é aprendizado também... e aprendizado normalmente não é simples.

    ...São tantas coisas a se lidar que fazem com que, sem execeção, mentiras sejam descobertas, máscaras se desfaçam... e desastres aconteçam. É preciso pensar muito bem em tudo isso *antes* de se casar, e avaliar se há a disposição de se doar desta forma. E, muito importante: os DOIS precisam estar dispostos a se esforçar para ter resultados de magnitude similar (não adianta um estar morrendo de se esforçar para agradar uma pessoa enquanto a outra está morrendo de se esforçar apenas para "tolerar" viver com a primeira, por exemplo).

    Apesar de tudo, eu ainda acredito que é possível um casamento feliz, a curto, médio e longo prazo. Basta fazê-lo pelas razões "corretas", com a consciência do que o casamento significa, e com a disposição que isso tudo exige.
    Um casamento feliz tem praticamente que ser um objetivo de vida ao redor do qual as outras coisas gravitam, e não apenas "mais uma coisa na vida da pessoa".

    E o casal que quer ficar junto e ser feliz precisa entender isso perfeitamente.

    ResponderExcluir