26 de jun de 2010

Medo II - Irracional


Oi Pessoas!
Gostei dos comentários, falando nisso eu também tenho medo da morte como o amigo disse, além da minha mesmo (é claro), dos entes queridos também, afinal eu não gosto de morte nenhuma e ponto final.

Medos irracionais...vou começar falando do meu medo do escuro, não gosto de ficar sozinha no escuro. Desde pequena (ou melhor, desde criança, rs) sempre evitei essa situação: eu+escuridão=medo, acho que é por causa dos filmes de terror.

Outro medo, palhaços ... é verdade ... também acho que é por causa dos filmes, mas que eles são sinistros com aquelas maquiagens são sim!
Não se esqueçam que são medos irracionais.

Tinha medo de nadar, de água profunda (mar, lago, até piscina), mas esse medo não era meu... minha mãe me passou esse medo dela. Quando tive a oportunidade conhecer o mar, me apaixonei, tão azul e imenso! Foi aí que eu percebi que não era meu o medo de água, me matriculei em um curso de natação e foi maravilhosamente tranquilo e relaxante. Amei! Minha mãe cresceu no interior, tinha que tomar banho no rio, lavar roupa no rio e ela não sabe nadar, tinha medo e nunca teve coragem de aprender. Daí ela me contava histórias de afogamentos, de cobras e jacaré que sempre atacavam alguém, tudo isso aumentava o medo dela e me contagiava. É interessante como podemos passar esses medos, quando alguém tem muito medo de algo é contagiante e quando você percebe também está com medo.
Tem estudos que confirmam que os medos dos pais são passados aos filhos, devemos saber o que falamos perto de crianças, elas absorvem tudo.

Tem gente que tem medo de ficar sozinho no futuro, de não encontrar alguém com quem compartilhar seus dias, não ter companhia na velhice... Apesar de realmente ser um pouco triste, desse medo (mesmo sozinha) eu não sofro. Como me já me disseram: "Tudo tem seu tempo", não é?

Outros tem medo de raios, trovão, dirigir, falar em público, dentistas, ets, e outras coisas inusitadas.

Acho que já falei demais.

19 de jun de 2010

Medo I - Racional


Vamos falar de medos?
Me diga quem não tem medo, quem nunca teve ou quem nunca terá.

É uma coisa com que convivemos diariamente, uma hora ou outra ele aparecerá.
Dizem que é normal e até necessário sentir medo de algumas coisas, como por exemplo: se não tivéssemos medo de animais venenosos acabaríamos sendo picados/mordidos, assim ter um certo grau de medo acaba nos ajudando a viver bem.

Existem vários tipos de medo: racional, irracional, exagerado, fobias, paranóia...
Vou falar dos dois primeiros.

- Medo racional é um medo que é proporcional ao nível de perigo que o ameaça, ele é saudável e indispensável para nos proteger.

- Medo irracional não tem base na realidade atual da qual estamos conscientes é ter medo de algo que não existe.

Eu dentro do meu medo racional, tenho pavor de aranhas. Quando tinha cinco anos de idade morava na fazenda de meu avô, lá com tantas árvores frutíferas, florestas nativas e animais selvagens era inevitável um encontro com algum animal perigoso ou venenoso pelo caminho. Um dia estava pegando frutas no pomar, não me lembro bem se era amora ou caju, uma aranha enorme e negra pulou em meu ombro, quando vi gritei muito, muito mesmo e minha irmã veio correndo e tirou ela de mim com um tapa. Ela nem pensou se seria mordida, na hora ela só me salvou...coitadinha.... Bom, depois desse encontro, meu medo racional por aranhas se tornou quase uma fobia.
Tenho outros medos como: assaltos (já presenciei vários), acidentes de carro (vi muitos na tv), um certo receio em relação a altura (apesar que já andei de avião e só deu medo da aterrissagem), ah e é claro baratas (que mulher não tem?!), kkk.

Podem ficar a vontade em comentar meus medos e falarem de seus medos racionais, ok...


No próximo post falarei de meus medos irracionais.

11 de jun de 2010

Descoberta


Junho.
Mais um dia dos namorados sozinha!....

Fiquei assustada quando percebi que talvez tenha achado a "causa" disso.
Minhas amigas dizem que sou muito exigente, até minha mãe disse que eu só vejo os defeitos nos meus futuros pretendentes, pode?!!

Foi aí que eu vi que realmente não me contento, como vou dizer... se não for perfeito pra mim.
Sei que Perfeição não existe (aí que mora o perigo...), assim continuo sozinha, procurando o "Sr. Perfeito".
Já pensei ter encontrado (por 2 vezes), mais foi alarme falso.

Bom, já que eu vejo mais defeitos que qualidades, essas perguntas surgiram: Qual quantidade de defeitos é tolerável?; Quais defeitos são insuportáveis e quais não são? Que qualidade anularia os defeitos?
Ou será que tudo depende da atração? As vezes tem outras não...
Ou será culpa do Amor? Amamos apenas uma vez na vida, se já amou... não acontecerá novamente...

Faz tempo que estou sozinha, nem sei mais por quê... Parece que me desconectei com o mundo dos namoros... Não sei mais se tenho cura...

Sou mesmo exigente ou não quero mais sofrer?
Sei de tantos exemplos mal sucedidos de namoros, noivados, casamentos, que estou tomando cuidado excessivo na minha escolha?
Será? ? ?

Como eu queria que fosse tudo mais fácil, mais simples como dizer:
So Kiss Me...

Feliz Dia dos Namorados!!!

5 de jun de 2010

Minha estrada



Olá pessoas amadas!!!
Me desculpem pelo sumiço....
Apesar da ausência, meus pensamentos compulsivos não pararam... foi o tempo que escapou pelos meus dedos...
Obrigada por sentirem minha falta, rs.
bjux a todos!!!!!!!!!!

E assim, aqui está mais um pouco de meus pensamentos e devaneios.
Dizem que nossa vida é uma estrada, longa, sinuosa, cheia de surpresas.
Posso dizer que a minha (até aqui, pelo menos) segui sozinha a maior parte do tempo, algumas vezes parei outras corri, fiz desvios sem saber onde daria, me perdi e retornei a estrada velha conhecida.
Uma coisa digo com certeza: CRESCI.
Sim, eu cresci, amadureci, percebi a pouco tempo atrás como mudei (acho que pra melhor...)

Tive muita ajuda, de pessoas que nem conheço (mas sinto que conheço, através do meu Blog), de alguns poucos amigos e de Deus.

Hoje estou caminhando, seguindo em frente. Já posso olhar pra trás... mas não volto... Não, não volto. Não fico mais no ontem, pensando e desejando pelo que passou. Estou aqui, desse ponto em diante é o que me importa.
É estranho pois não sinto que envelheci (espero que não, rs), apenas estou mais segura de mim. Ainda tenho medos, ainda penso muito antes de tudo, só que agora confio mais em mim.

Sei que essa estrada pode me reservar surpresas, alguns cruzamentos, alguns reencontros, algumas curvas perigosas, montanhas a contornar, buracos a desviar, algumas estradas paralelas para me fazer companhia, outras que deixaram de seguir o mesmo rumo que eu, não sei o que esperar, afinal não posso ver além do horizonte...
E assim, sigo. Passos largos. Cabeça erguida. Olhar no horizonte.